quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Pão com Lembrete

Em conversas de tapete e almofadas, ela me contou que não tem mais sonhos, que a tristeza que estava mergulhada foi por ver que não tinha mais sonhos a conquistar, afinal o maior sonho de sua jovem vida tinha sido desfeito quando provou dele e não gostou. Ela falou madura, convicta e triste, não tenho sonhos, nem objetivos, as vezes quero ser comum, sem tanta diferença, igual a todas as outras, sem estardalhaços, sem causar.
Olhei para ela com o mesmo ar melancolico que ela me olhava, escutava com os ouvidos atentos, mas a voz que estrondava dentro era a minha, olhei tudo ao meu redor, não precisava me questionar para saber dos sonhos adormecidos (não estão mortos), eu não ia culpar o tempo dessa vez, eu não queria culpar ninguem, nem a mim, so queria encontrar algo, uma conexão que me fizesse ver, sentir e plantar meus objetivos, também não me perguntei quais são, afinal a história da vez não era minha e sim dela.
Ao final das suas palavras trites, não teve abraços, nem beijo de consolação, dessa vez ofereci um suco e pão com lembrete (pão com salame).


Beijo

Um comentário:

  1. Esta conversa foi com a mamys?

    Beijocas e ótimo final de semana...

    ResponderExcluir